Os enólogos elegem o tipo de recipiente consoante as características de cada vinho e os detalhes que pretendem conferir ao envelhecimento do vinho. A barrica de 225 litros é uma das mais tradicionais, mas a verdade é que existem outros recipientes e barricas de carvalho que podem constituir o armazenamento perfeito para cada variedade.

 

Para que servem as barricas de carvalho?

Embora possamos procurar um recipiente alternativo, as barricas de carvalho são as mais utilizadas para envelhecer os vinhos. Além de favorecerem o processo de micro oxigenação do vinho, uma das suas virtudes mais marcantes é a capacidade de adicionar detalhes únicos ao vinho que contêm, respeitando sempre as características de cada casta.

Em qualquer dos casos, devemos ter em consideração que existem barricas de carvalho de variadas origens e com características muito específicas. O enólogo é o profissional capacitado para a sua eleição, tendo sempre presente o tipo de vinho que pretende preparar.

Por outro lado, além da madeira, é necessário avaliar outras características em cada barrica para fazer a escolha adequada. O tamanho (um Foudre (tonel), uma pipa ou uma barrica têm capacidades muito diferentes) e, sobretudo, o processo de tosta da madeira são elementos que influenciam o vinho, tanto ou mais do que o Terroir ou a casta da uva predominante.

No que se refere ao processo de tosta da barrica, é importante destacar que, dependendo da sua intensidade, este proporciona diferentes aromas e sabores:

  • O processo de tosta ligeira afeta os primeiros 3-5 milímetros e proporciona aromas subtis de madeira nova, travos frutados e aromas abaunilhados
  • O processo de tosta média atinge até 5 milímetros e aumenta a potência e complexidade dos vinhos, conduzindo à formação de compostos furânicos e com mais taninos. Nestes, notam-se aromas de fumo, de cacau e uma presença marcante de baunilha
  • O processo de tosta média + atinge entre os 5 e 7 milímetros da madeira da barrica e proporciona muitos aromas. É o mais utilizado atualmente, sobretudo para tintos encorpados. Fortalece os aromas de café, fumo, frutos secos e mel
  • O processo de tosta forte atinge a partir dos 7 milímetros das barricas de carvalho e oferece aromas de fumo muito intensos, com travos de caramelo torrado, tabaco e carvão, entre outros

Apesar destas características bem definidas, deve-se ter em consideração que cada tipo de madeira de carvalho responde de forma diferente a cada grau de tosta. Portanto, as propriedades de cada barrica não podem ser generalizadas em demasia.

 

Quantas barricas de carvalho existem no mercado?

Embora existam mais de 600 variedades de carvalho em todo o mundo, apenas cerca de quinze variedades são adequadas para fazer um Foudre, barrica ou qualquer outro tipo de formato. Entre eles, destacam-se o carvalho americano, francês ou ibérico.

 

Carvalho Francês (Quercus petraea & robur)

Embora de uma forma geral se fale em carvalho francês, é importante dizer que este tipo de madeira apresenta diferenças importantes dependendo da floresta de onde provém a árvore. Por exemplo, se se tratar de um carvalho mais espesso e mais baixo, transmitirá mais taninos e aromas mais delicados. Portanto, será utilizado para vinhos de qualidade superior.

 

Carvalho Americano (Quercus alba)

As barricas de carvalho, feitas com este tipo de madeira, possuem uma camada mais espessa. Para além disto, deve-se ter em consideração que contém uma substância cujo odor recorda o coco e a casca de laranja seca. Vinho envelhecido em barrica de carvalho americano apresenta menos taninos e é mais suave, com menor adstringência.

O carvalho americano tem diferenças significativas em relação ao francês. Uma das mais notáveis é o preço, dado que as características deste último significam que menos barricas podem ser produzidas a partir de uma árvore, o que aumenta o seu custo. Não podemos descurar que o carvalho americano tem o aroma de coco muito presente, enquanto que o francês aporta detalhes mais subtis e complexos aos vinhos.

 

Carvalho Ibérico (Quercus pirenaica)

As barricas de carvalho ibérico têm semelhanças com as feitas com madeira francesa, essencialmente devido à proximidade geográfica de ambos. Neste caso, são especialmente valorizados pelos enólogos pelos detalhes aromáticos de fumo e baunilha que aportam aos vinhos. São recomendadas, sobretudo para os tintos.

 

Carvalho Húngaro (Quercus frainetto)

O carvalho húngaro tem características muito semelhantes ao de origem francesa. Destaca-se por aportar taninos suaves, untuosidade e aromas frescos, respeitando sempre os aromas próprios de cada vinho. Portanto, são indicados para aqueles cujo Terroir merece destaque.

Além disto, é importante destacar que este tipo de madeira tem um preço médio, entre a de origem francesa e americana. Isto faz com que seja uma boa opção para determinados vinhos.

As barricas de carvalho são um elemento essencial para que possamos desfrutar de um vinho de grande qualidade, cujas características mais importantes foram respeitadas no seu envelhecimento. Saber todos os elementos destas barricas, que influenciam o resultado do vinho, é fundamental para escolher o modelo mais adequado para cada tipo de vinho.

Assim que o tratamento da madeira for concluído, o perfil aromático do vinho pode ser ajustado com taninos extraídos do carvalho. Se quer saber como ajustar o perfil aromático dos vinhos com madeira, contacte a Agrovin.